5 Startups de Finanças Pra Você Se Inspirar Em 2015 (fintech)

1

Você precisa ficar de olho nas Startups de Finanças, ou fintech.

Grandes empreendedores do passado e do presente já sabem:

Nesse mundo nada se cria, tudo se adapta.

Depois de passar uma temporada com grandes mestres no Vale do Silício, aprendi:

“O mercado financeiro é como arroz com feijão. Vai sempre ter alguém querendo comer.”

Eu já co-fundei uma empresa de cartões pré-pagos no Brasil que vai muito bem.

E por isso vou te ensinar o seguinte:

Aposte no mercado financeiro. No Brasil esse movimento está só começando.

E se você está procurando um nicho, fique de olho.

Veja bem: é difícil encontrar programadores decentes.

Você encontra um monte de dinossauros que não sabem nada de tecnologia.

Os projetos são sempre onerosos.

Mas se der certo, você vai ganhar muito dinheiro.

Gostou dessa dica? Clique aqui para Twittar

Então vamos a algumas fintech startups que estão dando muito certo por aí!

1. Wealthfront

A Wealthfront é um dos maiores players nesse crescente espaço de consultoria financeira automatizada.

Fundada em 2011, já possui mais de 2 Bilhões de Dólares sob sua gestão.

O CEO da Wealthfront, Adam Nash – anteriormente da Greylock Partners, LinkedIn e eBay – afirma que o crescimento da empresa se dá por conta de seus investidores “millennials“, que estão acostumados a serviços entregues exclusivamente por software e cloud.

A empresa possui uma concorrência bem acirrada:

Personal Capital, Betterment e um produto recente da Charles Schwab chamado Intelligent Portfolio. Mas a empresa está com os cofres cheios.  A Wealthfront já levantou US$ 130 milhões, incluindo uma rodada de US$64 Milhões fechada em Outubro/14.

Clique aqui para Twittar este artigo

Wealthfront, Startup de Finanças

2. Stripe

A Stripe já é destaque nos Estados Unidos.

O mais recente de seus sucessos foi o anúncio da parceria com a Apple Pay.

A empresa já executa pagamentos eletrônicos para o Twitter, Alibaba e uma longa lista de outras gigantes que adoram o seguinte:

Seu código está prontamente disponível e fácil de manipular por terceiros.

Com valor de mercado estimado em US$ 1,75 bilhão, a Stripe, que foi fundada em 2009 por jovens universitários, é um negócio pra você analisar bem de perto.

Clique aqui para Twittar este artigo

Stripe, Startup de Finanças

3. Banking Up

Fundada em 2006 como Plastyc, a Banking Up (que tem esse nome desde o ano passado) presta serviços financeiros básicos para os trabalhadores de baixa renda e pessoas “não bancarizadas”, que você vai ouvir falar por aí como “underbanked”.

Na sua essência, o produto é um cartão de débito pré-pago, mas com os outros serviços que oferece – como um cheque eletrônico gerado mensalmente e acesso a uma conta mobile – significa que vai preencher a lacuna das pessoas que não possuem acesso a serviços bancários padrão.

Recentemente a startup terceirizou suas operações, estendendo a plataforma para que outros negócios pudessem oferecer seus serviços aos clientes – um espécie de “terceirização co-branded”.

Clique aqui para Twittar este artigo

Banking Up, Startup de Finanças

4. MintBills

Quem trabalha no mercado financeiro tem que conhecer a Intuit, dona da Mint.

Eles compraram uma empresa que se chamava Pageonce, que depois virou Check – para se concentrar em pagamentos por smartphones – e hoje se tornou a MintBills, um serviço que consolida todas as contas de uma pessoa em um mesmo aplicativo.

Você pode gerenciar suas contas a pagar e se certificar de que não terá problemas com falta de pagamento.

A empresa já tinha atraído quase US$ 50 milhões em investimento e 10 milhões de usuários em meados de 2013. Em maio de 2014 foi adquirida pela Intuit.

Clique aqui para Twittar este artigo

MintBills, Startup de Finanças

5. We Pay

Com apoio da Y Combinator e US$ 15 milhões arrecadados no início deste ano, a WePay pretende dominar um segmento Fintech muito específico:

Pagamentos on-line para plataformas.

O primeiro produto da empresa foi uma espécie de crowdfunding (financiamento coletivo).

O objetivo era tornar mais fácil para grupos reunirem dinheiro e efetuarem um único pagamento.

Agora a empresa colocou todos os seus recursos em uma API única de escala muito maior:

Ela permite que plataformas – como sites de crowdfunding – possam:

1. Receber pagamentos a partir de um grande número de clientes;

2. Desmembrar esses pagamentos e enviar para um número menor de comerciantes.

Esse pivô (ajuste no negócio inicial) parece ter funcionado.

A companhia disse que, em 2013, a receita da API (lançada em 2012) cresceu 600% e que teria sido adotada por 300 plataformas.

Clique aqui para Twittar este artigo

We Pay, Startup de Finanças

Concluindo

O mercado financeiro é próspero e sempre vai ser.

Investidores brilham seus olhos a ver produtos redondos, em início de tração e que tem proposta de valor bem definida.

E você, conhece alguma startup financeira que está se dando bem?

Adicione aqui embaixo nos comentários!

Share.

About Author

Marcelo Pimenta é fundador da LeadseVendas.com, uma empresa especializada em aquisição de clientes (marketing de performance, SEO, landing pages, email marketing, growth hacking).Pós graduado pela ESPM e com especialização em Negócios Internacionais pela Florida International University (Miami, EUA).Foi Diretor de Marketing da Verisure Brasil, a maior empresa de Alarmes Monitorados da Europa.Foi um dos co-fundadores da Vale Presente Mastercard, onde atuou por 4 anos como Gerente Geral de Marketing e Produtos.Além disso, trouxe a marca americana de camisetas Threadless para o Brasil e foi head da área de social commerce da varejista Magazine Luiza.Ajuda empreendedores em todo o Brasil e organiza o meetup dos Growth Hackers de SP http://meetup.com/growth-hackers-spLinkedin: http://br.linkedin.com/in/pimentamarcelo/ e-mail: pimenta@businessideas.com.br

1 comentário

  1. Pingback: Startups financeiras - fintech - o panorama do Brasil

Leave A Reply